CFEMEA - A Universidade Livre Feminista (www.feminismo.org.br) acaba de ultrapassar a marca de mil pessoas matriculadas. Agora é uma comunidade de mais de mil mulheres (e alguns homens) que se identificam com o feminismo que que desejam lutar por um mundo sem machismo, um mundo não racista e nãolesbofóbico.

A Universidade Livre Feminista é um projeto do Centro Feminista de Estudos e Assessoria – CFEMEA apresentado para o conjunto dos movimento feminista com o objetivo de criar uma instituição coletiva que consiga congregar, catalisar e fomentar ações educativas, formativas, de pesquisa e de mobilização criativa. Nasce nos moldes das antigas universidade livres europeias.

Foi criado inicialmente um sítio na internet para divulgação da proposta e articulação de entidades para levar a diante o projeto (www.feminismo.org.br). Esse sítio, ao mesmo tempo em que reúne notícias e matérias sobre temas de interesse das feministas brasileiras (e latinoamericanas), serve como elemento mobilizador de entidade e militantes.

Junto ao sítio de informação e comunicação, a Universidade Livre Feminista tem mantido uma biblioteca, Biblioteca Feminista (www.bibliotecafeminista.org.br), com o intuito de conservar e colocar à disposição das feministas textos, documentos, teses acadêmicas, livros e relatórios.

Com a Biblioteca, foi criada igualmente a a TV Feminista, uma biblioteca de vídeos que devem servir de suporte e estímulo a debates e a programas educativos (curso, rodas de discussão etc.). A TV Feminista reúneproduções de entidades brasileiras e pessoas do exterior em português, inglês, castellano, francês e italiano. Atualmente são mais de 3.000 vídeos que são consultados mais de dez mil vezes ao dia eassistidos, na íntegra, por metade desses/dessas consulentes.

O primeiro curso da Universidade Livre Feminista foi o das Trilhas Feminsitas na Gestão Pública. A primeira turma foi composta de mais de 500 mulheres de todo o Brasil. O curso foi criado na plataforma Moodle (pela internet), instalada em um sítio especial Universidade Livre Feminista (http://www.nota10.org.br) exclusivamente dedicado a essas atividades.

Fonte: CFEMEA